Produtores de jabuticaba e derivados de Sabará se reúnem com govenador de Minas

Produtores de jabuticaba e derivados de Sabará se reúnem com govenador de Minas
Dirceu Aurélio / Imprensa MG

Fruta é patrimônio imaterial do município; encontro visa debater demandas e avanços para o setor produtivo da cidade

O governador Romeu Zema se reuniu, nesta quarta-feira (1/6), em Sabará, com produtores de jabuticaba, fruta que é patrimônio imaterial do município. O encontro serviu para discutir demandas do setor e ouvir as necessidades dos produtores que movimentam a economia da região com a produção da fruta e de seus derivados, como geleias, licores, polpa e vinhos. As iguarias são vendidas para todo o país e para o exterior.

“Este encontro com o setor produtivo de jabuticaba de Sabará busca entender como cada negócio funciona, cada setor, e ver como o governo pode contribuir. Acredito neste tipo de gestão, que vai a campo para escutar e entender o problema. Caso contrário, você nunca consegue tomar a decisão mais adequada. Sou um governador que pisa no chão de fábrica, onde o mundo real acontece”, disse o governador Romeu Zema.


Governo de Minas atua em favor para o desenvolvimento do segmento. Sabará possui 25 produtores assistidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), que oferece cursos de processamento, produção de vinho da jabuticaba, práticas de manipulação e rotulagem.


Selo



Em 2018, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) concedeu o selo de Indicação Geográfica (IG) para os produtos de Sabará. Licor, geleia, molho, casca cristalizada e compota receberam o selo.  Para conseguir o IG, os produtores contaram com o relatório da Emater-MG sobre a relação histórica de Sabará com a produção de jabuticaba. O selo ajuda na valorização nos mercados nacional e internacional.

Para estimular e ressaltar a produção, a cidade realiza concursos de melhor geleia, licor e produtos inovadores. Segundo o IBGE, a produção de jabuticabas em Minas é de 283 toneladas/ano. A cidade conta com pelo menos dez estabelecimentos que trabalham com derivados da fruta, sendo lojas de artesanato, empórios, hotéis, restaurante e outros. Além disso, a lei municipal de 1982 preserva o plantio de jabuticabeiras na cidade. Quem tem uma árvore no quintal de casa ganha desconto no IPTU.